Categoria: Livros

set 08, 2017Por

Nani Moreira

Antes da Queda- por Noah Hawley

Um avião decola, um avião cai, um oceano imenso a sua volta e a vida de um estranho em suas mãos. Como um cara que pega carona num jatinho sobrevive? Quem é ele e por que ele tava lá? É assim que começa o livro Antes da Queda, de Noah Hawley. 

Uma história cheia de possibilidades reais, mas submersa em segredos. Classificada pelo The New York Times como “um dos melhores livros do ano” por ser “envolvente e repleto de surpresas”, me rendeu algumas desistências e críticas regadas com um copo de leite (sim, eu bebo leite lendo livro :)!

Antes da Queda, por Noah Hawley

Gênero Ficção

Depois de 1 mês de férias, David, Maggie, seus filhos e um casal de amigos se preparam para embarcar num avião particular de volta para casa na companhia de Scott, que foi convidado por Maggie à pegar uma carona com eles.

O avião é da firma onde David trabalha, que tem uma vida atribulada com pouca dedicação aos filhos; Maggie, sua esposa, sente o desconforto de ter uma vida privilegiada (financeiramente falando) e busca refúgio nos filhos JJ e Rachel. 

Rachel, a filha mais velha, que já viveu uma experiência bem traumática por conta de um sequestro (mas sobreviveu), não vai ter a mesma sorte agora. Todos, com exceção de duas pessoas, morrem a bordo desse avião.

Continue lendo

jul 07, 2017Por

Nani Moreira

Vidas Provisórias- por Edney Silvestre

Experiências no exílio, torturas psicológicas e a perda irreparável por ter abandonado tudo para viver uma vida que não é sua de uma hora para outra. Esse é o enredo do livro de Edney Silvestre, Vidas Provisórias.

Um livro de ficção que lembra muito a vida real de tantos brasileiros na época da ditadura militar e hoje retratada em capas de jornal pelos exilados da Guerra Islâmica. Para quem ama uma história bem narrada e com riqueza de detalhes, não pode deixar de conferir essa resenha mais que especial…

Vidas Provisórias, por Edney Silvestre

Gênero Ficção

resenha livro vidas provisórias

É 1974 em Estocolmo e Nelson (um pseudônimo) está na cama com uma mulher. Em meio ao exílio com seus 25 anos e recém chegado do Chile, ele se jogava aos pés dela enquanto se lembrava da vida no Rio de Janeiro. É a vida de Paulo.

Em Atlanta, já em 1991 é a vez de conhecer a história de uma mulher jovem recém saída do Brasil. Saindo escorraçada de lá, essa paulista muda o nome e vai morar com imigrantes ilegais. É a vida de Bárbara.

A história volta agora pra 1970: Paulo está amarrado e com muita dor, já que foi torturado por militares na época da infame Ditadura Militar de 1964, cujo objetivo era censurar e reprimir movimentos políticos e sociais contrários ao regime brasileiro. Confundido com um transgressor, ele se vê sem opção: solto pelos militares, ele vai para o Chile sem dinheiro, sem identidade, sem a sua vida.

Continue lendo

abr 26, 2017Por

Nani Moreira

Pensando na carreira- Livros para ler enquanto você pensa sobre

Cada vez mais as estantes das livrarias se enchem de livros com a mesma temática: ou é auto-ajuda para a vida ou é como ser isso ou aquilo no trabalho, eu tô mentindo? E no mundo em que estamos vivendo (crise, desemprego, falta de motivação profissional, você se desdobrando nas tarefas…) eles enchem nossos corações de esperança, afinal, quem sabe ali não tem uma visão diferente, uma coisa que pode nos ajudar à dar um rumo diferente na vida, né?

Pensando nisso (até por que se você não está vivenciando algo parecido, talves você passe um dia) é que eu selecionei 3 livros bem inspiradores que podem te dar uma mãozinha numa mudança de emprego, ou pra tomar melhores decisões na carreira ou quem sabe melhorar tua produtividade na vida – equilibrando filhos, namorado, chefe.

São livros disponíveis on-line, sem custo nenhum (só de internet haha – mas você pode baixar em PDF) e excelentes, todos disponibilizados no site lelivros que é mantido por um grupo de estudantes que moram em Portugal com o objetivo de democratizar o acesso a leitura gratuita. Vamos conferir?

A Tríade Do Tempo – Christian Barbosa

(ideal para quem precisa administrar melhor seu tempo e fazer melhores escolhas)

livro para administrar o tempo A Tríade Do Tempo

Esse livro é fruto de uma pesquisa com mais de 42 mil pessoas espalhadas pelo mundo e ele já explica logo de cara que administrar seu tempo nada mais é do que fazer escolhas. Se você acha que não tem tempo pra nada (o namorado reclama, você nunca passeia, tuas matérias da faculdade estão atrasadas…), taí um alerta de que você tem escolhido viver sem tempo, diz o autor!

Ele propõe que os leitores dividam suas tarefas em urgente, importante e circunstancial (que está ligado à alguma situação) e te convida à assumir o controle absoluto de todas as áreas de sua vida.

Já se pegou pensando que queria tanto ir à região dos lagos (e pra quem mora na capital do Rio sabe que é um pulo de tão perto) e diz que está tão enrolada que nunca dá? Nunca dá por que? Por que você julga que não é importante e por isso adia? Se o seu casamento dependesse desse “pulinho” à região dos lagos, você iria por que é assunto urgente?! Mas não é importante ter um tempo para nós? 

“Você não vive o tempo, você vive a vida!”

“Se não decides tuas prioridades e quanto tempo dedicarás a elas, alguém decidirá por ti.”

Clique aqui e leia!

A Arte da não Conformidade – Chris Guillebeau

(ideal para quem quer sair da zona de conforto e busca um propósito de vida)

livro para fazer melhores escolhas A Arte da não Conformidade

Chris começa o livro dizendo que seu objetivo não era escrever para céticos e sim para pessoas esperançosas em fazer de sua rotina algo novo, cheio de novas histórias e conforme suas próprias regras. O desafio é esse: se está insatisfeito com a sua rotina, está aberto à novas ideias e ainda por cima disposto a assumir a responsabilidade pela sua vida – esse é o livro!

Esse livro vai te instigar à pensar um pouco mais em você, te fazendo resgatar o que você realmente quer sem que haja culpa, é um egoísmo saudável (vamos dizer assim). Viver sua melhor experiência, lutar por aquilo qu você julga ser o melhor para você e buscar o sentido da vida. 

E eu deixo um desafio do livro para você começar a fazer: escreva num papel como seria sua vida daqui há 1 ano (a ideia é revisar sempre durante os meses). Pensou e escreveu? Agora que tal fazer isso com metas para os próximos 5 anos? Ousado? Então escreva metas para a sua vida agora (revisando todo ano o que você conseguiu fazer ou o que deixou passar). Comece a fazer planos para orientar sua vida visando se aproximar do dia perfeito que imaginou.

“…você não precisa viver sua vida de acordo com as expectativas alheias.”

“O medo de mudar deve se tornar menos intenso do que o medo de permanecer na situação atual.

Clique aqui e leia!

Louco por Viver – Roberto Shinyashiki

(ideal para quem precisa de um ânimo extra pra manter a chama de viver)

capa_louco_por_viver_0305.indd

 

Esse livro é sobre arriscar a viver, é ter a chance de experimentar tudo o que tem vontade e sair da monotonia. Ele te convida à abraçar pessoas, olhar nos olhos, respirar fundo e viver suas paixões de forma plena, sem que isso se torne um fardo de culpa e sem medo de se arrepender.
 
Com uma linguagem mais “de amigo para amigo”, esse livro me pegou de jeito por que te faz pensar exatamente sobre a sua vida, sua rotina…seus sonhos! Sabe aquele medo de tomar um belo de um “não” na cara? Medo de errar, de arriscar e a vida vai passando e você não evolui? Não procure se sentir seguro eternamente, diz Roberto! 
 

Além disso, ele explica que não há nada mais complicado na vida do que se prender a coisas que não nos fazem felizes, esquecendo de ver que existem tantas outras opções pela frente. É extremamente inspirador o livro e muito reflexivo, vale cada minuto lendo.

“O problema não é ser ridículo, mas viver a vida inteira na expectativa de agradar a todos.”

“Adoro viver, mas principalmente tenho adoração por andar em caminhos que ainda não conheço.”

Clique aqui e leia!

Então queridos, o livro que mais me prendeu foi esse último e eu parei muuuito para refletir sobre o que quero, o que preciso e como posso alcançar meus sonhos e ideias malucas. Viver é um baita desafio e no mundo corporativo muitas vezes nos esquecemos do primordial: nossa felicidade. 

Espero que alguns desses possa ajudá-los de alguma forma. Me conta aqui o que achou! Vai ser um prazer trocar experiências….

fev 24, 2017Por

Nani Moreira

Não fale com estranhos – por Harlan Coben

E aí você dá de cara com um desconhecido no meio de um bar e com algumas poucas palavras ele revira sua vida e destrói tudo o que foi construído em família. Pesado? É isso que você vai ler logo nas 4 primeiras páginas do novo livro de Harlan Coben. Confere a resenha que esse é de tirar o fôlego, pode apostar comigo!

Não fale com estranhos, por Harlan Coben

Gênero Suspense 

resenha-livro-harlan-coben-nao-fale-com-estranhos

Imagina só esse estranho te abordar e jogar a seguinte bomba no seu colo: sua esposa alegou que estava grávida para comover você a voltar com ela, com direito a barriga falsa e tudo mais…Mentiu! E continua: -se puder fazer um DNA dos seus filhos, é melhor ainda tá? Sente o drama para um casamento de 18 anos? A única pista que esse estranho deixa é o nome de uma loja onde Corinne fez compras chamada  Novelty Funsy, que mais tarde Adan descobre ser o nome fantasia para a loja “barriga falsa.com”!

Quando Adan vai questionar Corinne sobre isso, ela conta um história doida sem sentido e diz que só no outro dia, ela contaria com clareza tudo o que a levou a mentir. Só que isso não acontece, já que ela manda uma mensagem pra ele pedindo um tempo e uns dias longe. Tá brincando, né? A pessoa mente, foge sem dar explicações e acha que vai ficar assim? E detalhe, Corinne não foi ao trabalho, não foi pra casa…desapareceu do mapa.

spoiler-alert

Já o estranho, só depois de 7 capítulos que Harlan dá alguma pista sobre ele: possui 27 anos, tem cara de Nerd e seu “trabalho” é simplesmente detonar com relacionamentos recheado de segredo e já conta com uma nova “vítima”: uma mulher  que acaba de receber a noticia de que sua filha está envolvida numa rede de prostituição on line. E mais a frente dos capítulos, um outro caso e mais outro … Todos assim: ele ia lá, jogava um segredo no ventilador e ia embora deixando a “vítima” sem chão. Chantagem e intimidação eram seus pontos fortes.

Nos capítulos seguintes a coisa esquenta e a trama vai ficando mais densa, misteriosa e da até pra perder o fôlego lendo. Com direito à tudo que Harlan sempre escreve: morte, mais mistério e mais chantagem. Não pretendo falar tudo por aqui por que perde totalmente a graça da leitura rs.

novo-livro-nao-fale-com-estranhos-harlan-coben

O fim? Bem eu adianto dizendo que é extremamente surpreendente e tô passada até agora. No fim, eu só fiquei falando pra mim mesma: caraca….caraca, não acredito!

A Editora Arqueiro diz que o livro é “intrigante e perturbador”, […] É uma reflexão sobre o bem e o mal, o amor e o ódio, o certo e o errado, os segredos, as mentiras e suas consequências devastadoras.” Eu já tinha essa sensação lendo esse livro e no final, não tive dúvida: são esses os sentimentos – perturbador e instigante!

Deixo aqui um trecho desse livro que eu achei que representa bem o enredo:

“Pensando melhor, que culpa ele tinha? Que marido procuraria uma desonestidade numa situação tão triste? […]. Mesmo agora, olhando para trás, ele não fazia a menor ideia do que levara Corinne a fazer algo tão…hediondo? Maluco? Extremo? Maquiavélico?”
 resenha-livro-harlan-coben-nao-fale-com-estranhos-1
Vou ficar por aqui senão acabo entregando a história…vale cada minuto lido e de todos os livros do Harlan que li até hoje (deve beirar uns 10) esse tem o final mais surpreendente de todos. Ficou curioso (a)? Corre e compra, ue! Imperdível. 
Quer ler um trecho desse livro? Clica aqui então e divirta-se!

 304 páginas / Preço R$ 34,90

Pretendo trazer aqui pra vocês, toda semana, um comentário sobre lançamento de um livro e no final de cada mês, uma resenha mais completa de um livro que lerei até o fim. Ao todo, serão 12 resenhas completas (1 por mês rsrs) e promessa vira dívida comigo: eu pago e cumpro!
Eu vou fazer um resgate à um projeto que eu já tinha começado mas não terminei que é ler livros da literatura antiga. Então, semana que vem, eu divulgo à vocês quais livros lerei até o meio do ano. Vambora no desafio comigo? 
 
dez 21, 2016Por

Nani Moreira

Dê livro no Natal! (parte 2)

Esse mês mesmo, lá no comecinho, eu deixei duas sugestões de presentes para esse Natal que já está batendo na nossa porta. E prometi que voltaria aqui com a segunda parte, já que dica dada é dica de graça e compartilhada, certo? Confira aqui se você não viu as outras indicações na matéria passada!

Para você que já acompanha o blog, olá novamente e você já sabe que sempre faço um resumo com as primeiras páginas de cada indicação. Para quem “brotou” aqui no blog pela primeira vez, seja muito bem recebido com um abraço e um beijo meu e chegue mais que o espaço é nosso!  Vambora então?

O advogado rebelde, por John Grisham

Gênero Suspense 

resenha-do-livro-o-advogado-rebelde-por-john-grisham

John Grisham é advogado especializado em defesa criminal por formação e escritor exemplar. Com 28 romances publicados, ele expõe o universo jurídico em todos os seus livros e isso começou de forma despretensiosa, entre uma defesa e outra. Seu primeiro conto policial que virou filme foi A firma, que teve os direitos vendidos para a Paramount Films e foi estrelado por Tom Cruise. Depois, foi a vez de O dossiê Pelicano (com Julia Roberts e Denzel Washington), O cliente (com ninguém mais do que Susan Sarandon e Tommy Lee Jones) e a lista só aumenta. 

Meu resumo, abaixo, de baseia nas 12 páginas cedidas pela Editora Rocco, tudo bem?

De forma aberta, o personagem principal já se descreve: Sebastian Rudd se considera famoso mas você não verá seu nome estampado pelas ruas. Difícil de se relacionar, com poucos amigos e nenhum saco para fazer novas amizades, tem morado em diversos quartos de hotel para não ser encontrado – pretende se manter vivo com essa tática! Classificado por ele mesmo de “advogado rebelde, trapaceiro e ardiloso”, depois de 10 anos nessa profissão, só pode confiar em uma única pessoa: Partner, que é seu “motorista, guarda-costas, confidente, assistente jurídico, caddie e único amigo.” 

spoiler-alert

Rudd está agora defendendo, à pedido do Estado, um menino de dezoito anos acusado de matar duas meninas. Geralmente seus clientes são culpados mas este caso é diferente, esse é inocente e tanto para Rudd quanto para a cidade, isso pouco importa. Todos sabem que ele é inocente, desde policiais que forjaram as provas ao promotor e eles precisavam de um culpado. Ninguém quis defender o pobre coitado, sobrou para ele essa missão e é por isso que ele tem sido tão odiado nos últimos anos!

Com essa profusão de provas forjadas, testemunhos sem sentido e uma autópsia duvidosa, Gardy (o acusado) parece desistir de lutar contra a sua condenação. 

A Editora Rocco complementa que “Grisham conduz o leitor pela conturbada vida de Rudd e seus vários casos, imprimindo um ritmo crescente em um livro repleto de surpresas. O advogado rebelde é mais um prova de que John Grisham é um dos maiores nomes do thriller jurídico de todos os tempos.”

Deixo aqui um trecho desse livro que eu achei que representa bem o enredo:

“Em sua primeira reportagem, o jornal de Milo descreveu-o como “membro de um culto satânico, com um registro de abuso sexual de crianças”. Que tal isso para uma reportagem honesta e imparcial? Ele nunca pertenceu a nenhum culto satânico e o caso de assédio sexual de criança não é o que parece. Mas, a partir daquele instante, Gardy foi considerado culpado e eu ainda me admiro com o fato de termos conseguido chegar aonde chegamos. Há meses que queriam encarcerá-lo”
 Eu, sinceramente, não faço ideia de onde estava que nunca li nenhum livro dele. Eu fiquei hipnotizada página por página, a leitura é solta e você não fica preso com palavras rebuscadas jurídicas nem detalhes difíceis. É o típico livro que ao começar, se acaba rápido de ler por que você já quer saber o que acontece mais pra frente e isso te prende.
Quer ler um trecho desse livro? Clica aqui então e divirta-se!

 400 páginas / Preço R$ 39,50

Atenção plena em poucas palavras, por Dra. Patrizia Collard

Gênero Autoajuda

resenha-livro-atencao-plena-em-poucas-palavras-por-dra-patrizia-collard

Dra. Patrizia Collard é psicoterapeuta, consultora de administração do estresse e professora de psicoterapia. 

Meu resumo, abaixo, de baseia nas 15 páginas cedidas pela Editora Sextante, tudo bem?

O começo do livro já te dá uma definição do que é a atenção plena: é se manter atento e focado, prestando atenção apenas naquela atividade e em tudo que a rodeia. É ter a oportunidade de se ver maravilhada, por exemplo, com as flores das árvores enquanto caminha pela rua. Essa prática nos afasta do estresse e evita doenças futuras, além de aumentar a sensação de calma e relaxamento, reduzir a ansiedade e fazer aumentar a compaixão por nós mesmos, pelos outros e pelo planeta. Excelente, não????

spoiler-alert

 

Essa prática já existe há pelo menos 30 anos e tem sido muito difundida por hospitais nos EUA e também em empresas como forma de melhorar o equilíbrio entre o trabalho e a vida pessoal. A ideia é se reconectar com coisas que, em algum momento, você deixou para trás e se perdeu, resgatando as coisas que de fato importam na sua vida.

Nesse livro também é falado sobre a gratidão e de que forma recebemos e nos conectamos aos outros com bondade e respeito. Além de focar em pensamentos positivos, o objetivo do livro é levar cada um à uma experiência única de meditação diária, diminuindo o ritmo e apreciando melhor as coisas boas da vida. Como a Dra. Patrizia Collard diz, é preciso “Viver cada momento e olhar para tudo sem julgamentos e preocupações nos permite aproveitar a vida em vez de simplesmente passar por ela.”

A parte que mais de deixou intrigada foi essa:

” Nós podemos sentir de novo os encantos da vida natural: uma folha de grama, as nuvens no céu, o delicioso sabor de um morango, a importância de nos cercarmos de amigos e de quem realmente se importa conosco. De repente percebemos que esses pequenos momentos são verdadeiros milagres. Esses vislumbres de alegria são mesmo importantes porque nos conectam com a vida, em vez de nos afastar dela.”

Fiquei muito curiosa com o livro e com as técnicas propostas nele. Pensar que a atenção plena tem embasamento científico é muito interessante e nos faz parar para pensar como podemos “domar” nossa mente e atitudes, focando no que de fato importa nessa vida: ser feliz e ser grato por tudo! Excelente lançamento da Editora Sextante, né?

Quer ler um trecho desse livro? Clica aqui então e divirta-se!

 Lançamento 07 de novembro / 96 páginas / Preço R$ 29,90

Finalizei bem as indicações, concorda? Em 2016, o blog marcou presença com lançamentos super quentes das editoras e pro ano que vem não será diferente. Sempre há tempo de ler….que tal colocar isso como uma prioridade em 2017?

dez 09, 2016Por

Nani Moreira

Dê livro no Natal! (parte 1)

Me diz aqui há quanto tempo você não lê uma matéria aqui no blog sobre livros? Faz tempo, né? Mas, independente do tempo que eu não escrevo sobre isso, a minha paixão pelos livros é ativa e diária. E para me redimir desta ausência, eu deixo aqui sugestões de livros para dar de presente no fim do ano (ô papai noel, anota aí!) ou simplesmente para enriquecer a sua leitura. Preferi listar gêneros diferentes para todos os gostos! Hoje deixo duas sugestões, semana que vem as outras duas, combinado?

Como sempre costumo fazer, fiz um resumo das primeiras páginas lidas de cada indicação. Assim, fica mais fácil entender a proposta do livro e já deixo aquela “água na boca” (vulgo spoiler do amor) em vocês! Vambora então?

 

O Homem de São Petersburgo, por Ken Follett

Gênero Thriller 

resenha-o-homem-de-sao-petersburgo-por-ken-follett

Ken Follett é um escritor veterano que aos 27 anos já começou na literatura lançando seu premiado livro “O buraco da agulha”, um clássico thriller que ficou entre os mais vendidos em inúmeros países. Com mais de 150 milhões de exemplares vendidos pelo mundo, esse escritor britânico tem a maioria dos seus livros mesclando temas históricos como Segunda Guerra Mundial, Peste negra, Revolução Russa e Guerra Fria, sempre com um toque de suspense,  desconfiança , rivalidades, traidores escondidos e heróis inesperados.

Aliás, esse livroO Homem de São Petersburgo” foi originalmente lançado em 1982 e está sendo relançado pela Editora Arqueiro, resgatando um clássico atemporal!

Meu resumo, abaixo, de baseia nas 30 páginas cedidas pela Editora Arqueiro, tudo bem?

A história começa numa tarde de verão de 1914 na Inglaterra, com Winston Churchill (é esse mesmo, primeiro-ministro britânico que atuou na guerra) indo visitar Walden, um conde que era ligado aos liberais. Churchill defendia nesta visita a atuação da Inglaterra em defesa da França contra a Alemanha na guerra e a possibilidade de aliança com a Rússia (daí a criação da Tríplice Entente, fato real ocorrido). A ideia era usar um  jovem almirante russo chamado Aleksei Andreievich Orlov (primo da esposa de Walden) para articular com a Rússia nesse acordo de aliança militar e é aí que entra o Walden, já que ele seria a ponte entre a Inglaterra e a Rússia para as negociações, uma espécie de diplomata semioficial. 

spoiler-alert

Na sequência dos fatos, a história muda de sujeito: Feliks Kschessinsky é apresentado aos leitores como uma pessoa que chegou à defender que a monarquia constitucional da Inglaterra era a forma ideal de governo mas seu ideal mudou ao longo do tempo. Agora, anarquista e saindo do seu exílio, ele e seu grupo de rebeldes resolveram articular para matar Orlov e assim, impedir a assinatura do acordo. 

A Editora Arqueiro complementa que “Feliks tem várias armas a seu dispor, mas precisa enfrentar toda a força policial inglesa, um brilhante e influente lorde e o próprio Winston Churchill. Esse poderio reunido conseguiria aniquilar qualquer homem no mundo – mas será capaz de deter o homem de São Petersburgo?”

Deixo aqui um trecho desse livro que eu achei que representa bem o enredo:

“Os camponeses é que lutariam na guerra. Ele passara a maior parte da vida entre aquela gente. Eram rudes, carrancudos e intolerantes, mas a generosidade desmedida e as ocasionais explosões de pura alegria indicavam como poderiam ser numa sociedade decente. […] Agora, o príncipe Orlov arrebanharia esses jovens na flor da idade e os colocaria na frente de canhões para serem mortos ou mutilados para sempre, certamente pelos melhores motivos da diplomacia internacional.”
 O livro é bem escrito, a história bem desenhada e faz um contraponto com o que de fato aconteceu no mundo. Vale a leitura e para quem não é fã desse tipo de livro mas conhece alguém que gosta, vale demais presentar. 
Quer ler um trecho desse livro? Clica aqui então e divirta-se!

 Lançamento 7 de novembro / 336 páginas / Preço R$ 44,90

O Primeiro Dia do Resto de Nossas Vidas, por Kate Eberlen

Gênero Romance

resenha-livro-o-primeiro-dia-do-resto-de-nossas-vidas-por-kate-eberlen

Kate Eberlen é inglesa e estudou literatura clássica em Oxford. Ela é especialista em ensinar inglês para estrangeiros com o objetivo de passar mais tempo na Itália, onde seu filho mora e estuda. O livro “O Primeiro Dia do Resto de Nossas Vidas” foi escrito assim, entre um intervalo e outro das aulas e marca a sua estréia em grande estilo.

Meu resumo, abaixo, de baseia nas 30 páginas cedidas pela Editora Arqueiro, tudo bem?

Em 97, Tess observava a seguinte frase pintada num prato de decoração da sua casa: “Hoje é o primeiro dia do resto da sua vida” e aquilo era latente na sua cabeça. Após 1 mês viajando de férias pela França, acampando e se divertindo com a sua melhor amiga, já era hora de voltar pra casa. Entre um lugar diferente e outro que conheceram, um lugar em especial despertou uma emoção no mínimo estranha para quem tinha apenas 18 anos e nem sonhava em casar (e nem nunca havia namorado!): uma igreja e a sensação de que ela voltaria lá algum dia. 

spoiler-alert

Tiraram fotos nos lugares mais lindos que encontravam já em tom de despedida, já que Tess havia passado para a University College London. Durante a visita à igreja e em um desses lugares que tiraram foto, o mesmo menino estava lá! Cabelos avermelhados e meio magrelo…mas, ainda sim, ele chamava a atenção dela. O nome dele era Gus, um menino que vive sob o controle de sua família e não vê agora de ser quem realmente quer ser.

Agora, de volta para a Inglaterra, Tess se depara com uma realidade que não estava ali antes da viagem. Sua mãe fora diagnosticada com câncer nos ovários e avançando para o fígado e tudo está prestes a mudar. A Editora Arqueiro dá uma pitada de curiosidade na gente quando escreve que “O primeiro dia do resto da nossa vida narra duas trajetórias que se entrelaçam sem de fato se tocarem, fazendo o leitor se divertir, se emocionar e torcer o tempo todo por um encontro que pode nunca acontecer.” Tess e Gus fazem parte desse livro que é recomendado por diversos jornalistas críticos pelo mundo como sendo um romance honesto, revigorante e envolvente!

A parte que mais de deixou intrigada foi essa:

“À luz do dia, a basílica era bem maior do que eu imaginara e, à medida que eu subia os enormes degraus da escadaria barroca na direção dela, me dei conta de que aquele seria o lugar perfeito para um casamento – o que era estranho vindo de mim, já que eu nunca tinha namorado de verdade até então, e muito menos me imaginado em um longo vestido branco. Do terraço da igreja, a vista era tão deslumbrante que fiquei com uma vontade incontrolável de chorar enquanto prometia solenemente a mim mesma – como a gente costuma fazer aos 18 anos – que, um dia, eu voltaria ali.”

Gostoso de ler, escrito de forma muito leve e corriqueira, me deixou curiosa para ler o resto da história. Para quem ama um romance sem ser meloso, acho super válida a escolha!

Quer ler um trecho desse livro? Clica aqui então e divirta-se!

 Lançamento 10 de outubro / 432 páginas / Preço R$ 44,90

Gostou da indicação? Já leu esses livros, por que eu estou muito intrigada com a história que a Kate Eberlen escreveu. Quem não ama um romance? Há…me diz aqui o que você mais gosta de ganhar no Natal…por que meu favorito é livro, sem dúvida (alô familia que lê o blog…#ficaadica).

out 14, 2016Por

Nani Moreira

O que eu aprendi com o Hercule Poirot (Agatha Christie) + uma dose de motivacional

Sabe quando você começa a ler, ler e ler e a impressão que você tem é de que o seu personagem preferido é mais que um personagem pra você: vira um ídolo, admirável que se fosse uma pessoa de verdade eu dava até um beijo! haha. Tem várias teorias que explicam isso: “estamos carentes de ídolos” (blá), ” eu nunca faria isso na vida real e esse é o cara” (até vai…) ou “me lembra muito uma situação que aconteceu comigo e que se passou com esse personagem” (ai sim, super possível) e com isso emendamos um livro atrás do outro em busca da próxima aventura do nosso personagem preferido – quem nunca! 

Isso acontece comigo direto e hoje vou contar um pouco do que eu aprendi com um “cara” incrível chamado Hercule Poirot, personagem emblemático criado pela escritora Agatha Christie em quase todos os seus livros. Para quem caiu de pára quedas nos livros de suspense policial (que é o caso), a Agatha é referência mundial na escrita de livros com essa pegada: ação, mistério, suspense policial, mentiras e uma boa dose de investigação. Não tem como adivinhar NUNCA o que acontece, tudo tem uma reviravolta que te prende do início ao fim, isso tudo com uma boa dose de irreverência que dão à cada leitura um gostinho a mais. 

Então vambora com o “que eu aprendi com o Hercule Poirot”? Quem sabe não te desperto essa paixão também?

AUTOESTIMA LÁ NO CÉU

O cara sabe que é bom sem ser metido, ele conhece seus defeitos (mas não os expõe) e exalta suas qualidades (sem ser pedante, sabe?). Nada de se esconder por medo de se sentir ousado demais, metido demais. Assim, ele é reconhecido pelo o que de fato tem de melhor e todos o respeitam por isso. Ás vezes, temos a impressão de que nossas qualidades não precisam ser exaltadas e com isso deixamos cada vez mais nossa autoestima desvalorizada. Assuma – se você tem qualidades, faça o mundo conhecê-las e ganhe admiração por quem te rodeia!

f4f5808ffa1fe55cbfd42827e5abf736

DETERMINADO – EU QUERO, EU FAÇO!

Ele se propõe a começar uma investigação, ele termina uma investigação (mesmo que o resultado seja frustrante). Sabe aquela pessoa que bate no peito e diz “deixa comigo que eu resolvo”? Ele assume a responsabilidade e puxa pra si o problema, cheio de determinação. Quantas vezes na vida ficamos escondidinhos no nosso canto sem tomar uma iniciativa esperando que alguém faça por nós? Tudo para ele vira um desafio a ser superado e mesmo nos momentos difíceis, ele pára e reflete para depois tomar uma atitude (opa….assunto pro próximo tópico). 

024d0327d73481518073e154af280abc

ELE NÃO DESISTE FÁCIL 

Nesse ponto ele chega a ser até meio chato e teimoso. Então aqui eu vou só falar da capacidade de insistir e não deixar a peteca cair, mesmo quando tudo diz que não. A dica que eu deixo aqui é ver o momento de parar para repensar sem que isso vire uma insistência burra, como naquele ditado “secando gelo”, sabe?

d307da4651bfafe060f7ace0cfd36814

AS APARÊNCIA ENGANAM

Imaginem um cara baixinho, com um bigode ridículo, cabeça com o formato de ovo e uma pose digna de comandantes do exército? Assim é Hercule e as suas características físicas. Quando o viam, ninguém dava nada por ele e o achavam até mesmo um louco e sem expressão. Quantas vezes já nos julgaram pela aparência, nos olhando de cima a baixo, pensando em como essa pessoa é, fazendo mil julgamentos precipitados? Só depois que Hercule começava à falar e a agir que o povo mudava esse pré-conceito…muito igual com o que fazemos hoje em dia, não? É aí que você pode ter outros ganhos: surpreendendo positivamente as pessoas! E por fim….

666089876e3976bd64055a45ac0f1705

EXISTEM POSSIBILIDADE JAMAIS PENSADAS

Sabe aquelas pessoas que pensam, pensam, pensam um zilhão de vezes para fazer algo e por fim acabam não fazendo nada? O Hercule acaba mostrando para os seus leitores que por mais que haja cálculo para tudo, que você imagine mil situações possíveis, nem sempre chegamos à um resultado cem por cento, por que tem tantas variantes a serem vistas que cada um pensa de uma forma e imagina de uma forma uma determinada coisa. Mas o bom de tudo é que precisamos ouvir as ideias dos outros para que tenhamos outros pontos de vista.

ca4354b3ed69b7415a341cefdb8bf38e

Vou deixar aqui para vocês algumas curiosidades sobre esse carinha que conquistou:

– Sua primeira aparição foi no livro “O misterioso caso de Styles“;

– A inspiração de Agatha Christie para criar Poirot surgiu dos belgas refugiados de guerra que fizeram da Inglaterra sua nova residência;

– Para evitar que continuassem a explorar seu personagem depois de sua morte, Agatha Christie decidiu matar Poirot em um romance escrito na década de 1940, mas que, segundo ordens expressas suas, só deveria ser publicado após sua morte. Por essa razão, Cai o pano somente foi lançado em 1975. A ação já começa com Poirot doente e sua morte fecha a trama. Uma despedida dupla, da criatura e de sua criadora;

– O detetive protagonizou trinta e três romances e cinqüenta e quatro contos;

– Poirot se tornou o único personagem ficcional na história a ser honrado com um obituário na primeira página do The New York Times!

– Quarenta anos depois da morte de Poirot e o último livro de Agatha, sua família escolheu a escritora britânica de romances Sophie Hanna para dar vida novamente ao personagem em histórias inéditas.

hercule-poirot1

Quem me ajudou à escrever isso tudo? Primeiramente da minha leitura enlouquecida,  coisas coletadas no site do wikipedia, editora LPM (publica inúmeros livros dela) e ao estadão.

E vocês? Já leram algum livro da Agatha Christie? Me contem aqui quais outras características do renomado Hercule vocês lembram!

 

ops.: Utilizei as imagens do Google Imagens e do Pinterest, tá?

maio 24, 2016Por

Nani Moreira

Resgatando “A moreninha”, de Joaquim Manuel Macedo (Resenha)

Lembram neste post que eu resolvi tirar do papel uma vontade de resgatar a literatura nacional clássica? Pois aqui se promete, aqui se cumpre, povoooouuu! Vocês, leitores, não vão ver uma resenha chata, monótona nem rebuscada. Minha pretensão é escrever de forma que vocês tenham acesso à ideia geral da obra e que possam lembrar do que se trata este livro que marcou e ainda marca uma era da literatura nacional…sem rodeios nem tratamento ponto a ponto, entendem?

Segue, abaixo, minha primeira resenha do blog…estreando com “A Moreninha”, de  Joaquim Manuel Macedo. Confesso que valeu a pena a leitura e foi um grande prazer fazer esta resenha!

Resenha à moda “nanimoreira” rsrs.

Quem é esse tal de Joaquim Manuel de Macedo? Apresentando o escritor

Joaquim Manuel de Macedo

Nasceu em 1820 e morreu em 1882 aos 61 anos, o escritor era também médico, mas não chegou a exercer a profissão.

Formado na mesma época em que lançou o livro que o consagrou (A moreninha), é considerado o fundador da primeira geração do romantismo brasileiro. 

Introdução…esquentando um pouco o leitor

O autor começa a história já justificando possíveis falhas dos personagens e da história, que não tem a pretensão de ser politicamente correta nem certinha.Se coloca já como autor alvo de possíveis críticas, mas que está aberto à conselhos, já agradecendo pelas palavras que virão. A história se passa na época dos escravos, no Rio de Janeiro (mais precisamente ilha de Paquetá) representando a alta sociedade carioca em meados do século XIX.

Apresentando os envolvidos

A história gira em torno de três amigos no auge de suas aventuras amorosas, às vezes tendo êxito nas conquistas, outras vezes, nem tanto! Naquela época, as meninas já queriam “iscar” e “casar”; já os meninos só pensavam em “fingir” e “fugir”…mais ou menos como é atualmente hahah…

Felipe, estudante de medicina, convida seus amigos para um feriado na casa de sua avó, já que suas primas e irmã estarão lá e seus amigos apreciariam conhecê-las. A morena (sua irmã) é chamada de moreninha por um de seus amigos e seu nome verdadeiro é Carolina.

A moreninha, de Joaquim Manuel de MAcedo

Ressalto aqui que Augusto, um dos seus amigos, não se prende às mulheres por achar banal o romantismo e todas as coisas que o amor pode trazer; sua mente não se ocupa com nenhuma dama por mais de 15 dias!

Sabendo disso, Felipe aposta com Augusto o seguinte: “eu torno a afirmar que tu amarás uma de minhas primas durante todo o tempo que for da vontade dela.” E que se ” tiver amado a uma só mulher durante quinze dias ou mais, será obrigado a escrever um romance em que tal acontecimento confesse” por meio de um romance escrito pelo “perdedor”…ou também chamado de apaixonado! E assim partiram para o tal feriado.

O feriado fatídico

Ao encontrar a irmã de Felipe na ilha, Augusto já traçou seu perfil sobre ela: a tal moreninha era travessa, inconsequente e às vezes engraçada; viva, curiosa e em algumas ocasiões, impertinente…e só! Mas depois do jantar, seu conceito mudou…

Augusto é terrível na arte de conquistas: quer todas sem se apaixonar por nenhuma delas, articula bem, fala bem e conquista sem querer os mais variados tipos femininos: de senhorinhas indecentes à mocinhas rebeldes, seu coração é fechado para ser amante de uma só.

A moreninha, de Joaquim Manuel de Macedo 2

No desenrolar da história, Augusto explica o por que desse seu comportamento dito como machista: ele já foi atingido várias vezes pelo amor não correspondido – e era morena a mulher. Jurou para si mesmo que não se apaixonaria por nenhuma outra mulher, quiça morena. Depois se apaixonou por uma de pele rosa que numa conversa casual disse assim dele: “— Augustozinho?… Lamente-o antes, coitado! É um pobre menino com quem me divirto nas horas vagas!”…depois disso, resolveu nunca mais amar nenhuma mulher de cor rosada! E tantas outras que apareceram na sua vida, ele dizia a mesma coisa…por fim resolveu amar todas! Mas uma história o marcou profundamente…na infância!

O amor de Augusto

As senhoras e meninas da ilha ficaram intrigadas do por quê de Augusto ser tão volúvel e inconstante com as mulheres. Em um passeio com a avó de Carolina e Felipe, Augusto abre seu coração e revela que suas feridas começaram a abrir desde cedo, na sua infância: ele se apaixonou por uma menina – criança como ele há anos atrás.

O encantamento por ela foi quase que instantâneo; ela era graciosa, brincalhona e feliz! Se conheceram na praia, ela chamava ele de meu esposo e ele de minha mulher…sem maldades, coisa de criança que brinca de casamento de mentirinha, sabe?  Daí, foram surpreendidos por uma criança chorando. O pai desta criança estava falecendo e eles correram para tentar ajudar com ingenuidade.

A moreninha, de Joaquim Manuel de MAcedo 3

Chegaram lá e o homem falecia de fome e ela, gentilmente, cedeu suas moedas; para agradecer, este homem perguntou quem eram eles e a menina respondeu que eram “marido” e “mulher”…os presentes riram mesmo em um momento de dor e o homem casou-os para celebrar a vida em meio à uma morte que estava a caminho. Trocaram o que tinham de mais valioso: ele deu à ela seu camafeu, ela deu à ele sua esmeralda e foram saltitantes pela praia numa brincadeira ingênua. Depois, se despediram ser saber seus verdadeiros nomes..mas prometeram que guardariam para sempre este dia e os presentes trocados! Mas alguém escutou essa história entre a avó de Carolina e Augusto….tinha alguém escondido lá e que agora sabia disso.

Onde paramos? O retorno à infância e a explicação de tudo

Vou finalizar essa história, breve até mas cheia de vontade de ficar..valeria um filme, dos bons e que nos arrancam baldes de lágrimas no bom e velho romance blasé. O fato é: Augusto está perdidamente apaixonado pela moreninha e ela por ele, mas eles só se dão conta quando o feriado acaba e ambos retornam (ou tentaram) retornar às suas rotinas: ele, na faculdade envolvidos por livros de medicina; ela, naquela ilha cercada de bonecas e com o seu piano empoeirado (já que o prazer não estava mais lá). Ele volta à ilha depois de um tempo e encontra moreninha sofrendo por achar que ele era um falso mesmo…um amante de todos. 

E sabe o que acontece no fim? Ela mostra à ele seu camafeu…ele mostra à ela sua esmeralda. Um reencontro de crianças…ela não sabia que ele era aquele menino da praia que fora um dia de brincadeira seu esposo e que casaram a beira de um moço quase falecendo. Quando ela ouvir a conversa entre ele e sua avó, ficou intrigada e desconfiada. Ao mesmo tempo, sem saber se era ele mesmo, entende?A moreninha, de Joaquim Manuel de MAcedo 4

Ele, só ficou sabendo que era ela por que a própria moreninha depois de ter ouvido a conversa dele e da sua avó não acreditava que a história toda estava ali aos seus olhos. Era seu antigo e primeiro amor que fora trazido pela vida…coincidência, destino…não se sabe! Ali, naquela ilha onde eles se reencontraram, se casaram e juraram novamente amor eterno…como naquele dia lá da praia!

Tem coisas que só quem viveu numa época mais romântica pode sentir: era tudo muito envolvente e cheio de conquistas, as meninas se sentiam cortejadas e os homens se faziam presentes nesta arte, havia um tom de suspense e doce (do tipo eu te quero mas não posso me entregar tão fácil assim, sabe?)…e foi assim do início ao fim do livro!

E vocês? Gostaram da resenha à moda nanimoreira? Querem ler o livro todo? Clique aqui. Preparados para mais uma? Mês que vem será “O cortiço”, de Aluísio de Azevedo, beleza?

Deixo vocês com uma frase: “O maior inimigo do amor é a civilidade”, por Joaquim Manoel de Macedo (e não é verdade? rsrsrs)

maio 11, 2016Por

Nani Moreira

Resgatando livros “vintage” – clássicos da literatura brasileira

Povouu, bom dia! Eu já tinha isso como um projeto, mas relutei em colocar em ação por que temia não poder cumprir como prometido…mas depois de ontem eu resolvi que é preciso, gente! É preciso resgatar a literatura básica, aquela que originou todo o processo de escrita e que muuiiitos mais muuuitos mesmo nem conhecem ou pior…acham desnecessária e velha – coisa ultrapassada!

Ontem indo para minha casa, me deparei com uma mãe dizendo assim, ó:

-” Aí a professora do meu filho passou um livro pra ele ler: a moreninha! Pô, precisava ser um livro tão velho, já tem tantos livros aí atuais e novos…pelo amor de Deus, achei um absurdo isso!” (palavras da senhora do trem…)

Chocada fiquei com a fala da moça e mais chocada ainda fiquei porque eu não lembrava se já tinha lido esse livro e nem quem era o autor hahahh! Ficamos tão envolvidos com lançamentos e mais lançamentos que esquecemos os autores que de fato serviram de base para muitos escritores da atualidade.

Além disso, ler livros desta “categoria”, resgatam um pensamento de época, uma fração no tempo que marcou uma era, um momento político, um pensamento mais recatado – mais devasso…enfim: tive que ler o tal ” a moreninha” até para voltar ao meu projeto antigo e desmistificar que livros antigos são as bases de um bom leitor.

Vambora então começar nessa resenha de quem está lendo um livro de 1844 em 2016 hahaha!? Semana que vem, povooou….semana que vem…

O projeto começa na matéria da próxima semana e a princípio serão lidos e comentados/resenhados de forma simples os seguintes títulos da literatura brasileira (1 por mês até o fim do ano) num total de 8 livros, certo?

classico da literatura brasileira

Maio – Junho – Julho

classicos da literatura brasileira 1

Agosto – Setembro – Outubro

classicos da literatura nacional 2

Novembro – Dezembro e um plus (hahah)

A pretensão não é comentar de forma técnica para futuros vestibulandos nem trazer artifícios literários como um professor desta matéria: é instigar futuros leitores a ler as obras que marcaram a literatura brasileira e fazer você refletir que o “velho” ou “ultrapassado” pode ser ponte para novos conhecimentos, para um cidadão que conhece suas origens e respeita/aprecia a boa leitura, independente de quando esta foi escrita!

Encontro marcado semana que vem no #livrosimperdíveis versão “vintage”?

abr 23, 2016Por

Nani Moreira

A história de nós dois, por Dani Atkins (Editora Arqueiro)

Sabe quando você lê um resumo, uma contra-capa e simplesmente só pensa em ler mais, comprar e devorar um livro até a última folhinha? Estou assim com um livro, povouuu…sinto muito mas acho que você também vai ficar assim rsrs. Então, se eu fosse você, parava imediatamente por aqui e nem se dava ao trabalho de conhecê-lo (mas se você resolveu continuar, vai se apaixonar pela história…avisada!).

Dani Atkins, a escritora, começou a se aventurar na escrita lançando o livro “Uma curva no tempo” e agora mais um romance arrebatador chamado “A história de nós dois”, ambos lançados pela Editora Arqueiro. 

Com 352 páginas custando R$ 39,90, a história começa pelo fim: Lá está Emma no dia do seu casamento envolvida em pensamentos que a remetiam para aquele dia fatídico – o acidente e a forma como tudo foi transformado por esse acontecimento. Tudo bem que um acidente não está nos planos de ninguém…e se apaixonar pelo cara te se socorreu de uma forma tão intensa a ponto de duvidar se deve ou não se casar (e você só de dá conta disso faltando APENAS 15 dias para o tão sonhado “sim” no altar?) também não mas fato é que aconteceu.

Emma e Richard estão noivos suas famílias já se conhecem desde que ambos tinham 2 anos, de forma que as relações familiares são antigas e verdadeiras. Emma sai de sua festa de despedida de solteiro rodeada de suas duas melhores amigas rumo à sua casa. A festa foi boa e tranquila, cheia de bons drinques e massagens relaxantes num spa mas para uma de sua amigas, Amy, as bebidas foram em um número bem alto.

a historia de nos dois_17mm.indd

Quem dirigia era Caroline enquanto Amy passava mal no banco de trás e Emma seguia no banco da frente até que, de repente, um animal cruzou a pista e elas colidiram. Enquanto Caroline estava desorientada depois de ter conseguido sair do carro, Amy estava inconsciente na estrada e Emma estava presa às ferragens de um carro à beira do barranco. Até que ele apareceu…30 e poucos anos, cabelos escuros e ondulados e sorriso gentil- além de belos braços (rs)!

Não sei o que Emma descobriu naqueles minutos ali no carro com Jack tentando salvá-la: se foi sua garra em tentar socorrê-la, o fato dele ter sido tão gentil e simpático em um momento de temor (já que o carro fedia à gasolina e tudo poderia explodir…inclusive ele) ou as circunstâncias de tudo isso misturado!

Em apenas 30 páginas do release da Editora Arqueiro, percebi por que gosto tanto da Atkins: leitura leve e instigante, seus personagens são identificáveis como pessoas normais (podendo ser até um conhecido seu ou você mesma) e com um desenrolar surpreendente!

O trecho que eu mais gostei?

“Na noite do acidente, era outro anel que eu usava,
mas ele acabara no fundo de um despenhadeiro. Uma longa história. E, sob
muitos aspectos, inadequada. Mas não tanto quanto me apaixonar por um
estranho misterioso. Eu tinha lido todas as revistas e livros disponíveis sobre
casamento, mas nenhum deles parecia tratar desta questão particularmente
delicada: o que fazer quando, quinze dias antes do seu casamento, você de
repente se vê apaixonada por dois homens?”

É ler e se envolver …gostaram? Deixei seus comentários e um gostei que é sempre legal! Há, este livro já está a venda nas livrarias e foi lançado dia 12 de abril…super fresquinho.

Para ler as primeiras páginas deste livro, clique aqui e fique a vontade (é de graça rsrs).

mar 04, 2016Por

Nani Moreira

Lançamento de março Editora Rocco – Livro Eu digo sim, de Eliza Kennedy

Oi povouu! Graças a Deus, sexta-feira (maravilhosa, abençoada, demorou para chegar….amouuu! ) Eu ia falar hoje de #itensdebeleza masss recebi um release da Editora Rocco e de cara me encantei com um livro e por isso mudei os planos para hoje haha (mas amanhã sai a matéria de beleza, beleza?). Esse livro tem tudo a ver com o ritmo dos próximos dias, cuja comemoração é do Dia Internacional da Mulher e me caiu como uma luva falar disso, ainda mais com um lançamento tão gostoso.

Eliza KennedyEliza Kennedy estreia com um livro no estilo comédia/romance/comportamento que foi lançado no ano passado lá fora e veio traduzido pela Rocco! Com excelentes críticas pelo The New York Times e Independent Journal, ele se chama “Eu digo sim” (tradução de “I take you”) que é uma comédia sobre mulheres reais na casa dos seus 30 e poucos anos que marca uma nova geração, a Geração Ha, de mulheres normais com conflitos normais sobre amores, profissão, ter ou não filhos, ser bem ou não-sucedida.

Fácil de se identificar com a personagem central, Lily, ela se vê às dúvidas sobre um casamento com alguém que conheceu há 6 meses, só! A escritora define Lily como um personagem que foge às regras normais de toda mocinha: antipática, insensível, que adora agir contra às regras (como ser meio que libertina e infiel hahah). Prestes à casar com o homem dito como perfeito, ela esbarra em questões maiores como a natureza da escolha, política de gênero, as implicações do desejo e de que forma precisamos (ou não) nos manter nas expectativas das pessoas e da sociedade!!! 

livro eu digo sim, eliza kennedy

Em “Eu digo sim”, Lily é uma mulher dividida entre prazer e culpa, dúvidas e certezas.  

Pelos comentários, é uma mistura de “Como perder um homem em 10 dias” mais “Bridget Jones” só que mais incalculável e desprovida de regras, além de ter a liberdade de “Sex and the City”.

Para o The New York Times Book Review, o romance é picante e moderno, uma estreia a ser celebrada. Best-seller instantâneo, Eu digo sim marca a estreia da coleção GeraçãoHa, com livros para mulheres em busca de diversão, riso solto e camaradagem, na melhor tradição do papo entre amigas.

Chamada de Geração Ha, esse movimento começou em 2012 no lançamento de um filme chamado “Frances Ha”, Noah Baumbach que retrata Frances, uma mulher que tenta manter o alto astral diante os problemas que a vida adulta traz sem que isso te tire a esperança e alegria. É um relato de uma mulher em sua fase de transição para vida adulta, com medos, incertezas, confusões engraçadas e momentos em que você precisa reescrever sua própria história!

 

Voltando ao livro, para fechar, custará R$ 34,50 e tem 368 páginas…e a princípio já vi vendendo on line pela Livraria Cultura na pré-venda. Ele será lançado oficialmente dia 8 de março em todas as livrarias, tudo bem?

Ps.: fontes consultadas….NY Times e Independent Journal

E aí, povouuu!? Gostaram da matéria e do livro? Eu amooo esse tipo de comédia até por que sou muito fã de Bridget Jones e todas as comédias românticas que retratam os “dramas” femininos!

Me conte aqui e deixe seu gostei caso tenha gostado, vai? Assim que lançar, corro para comprar e faço uma resenha bem legal por aqui, combinado?

(háaaaa…já viram o filme “Como ser solteira” que estreou final de fevereiro??? Acho que é bem isso mesmo do livro, ácido, uma mulher irreverente perdida, conflitos internos…hahah)

fev 25, 2016Por

Nani Moreira

Próximos lançamentos de março Editora Arqueiro (parte 2)

Oii povouuu, como vocês estão? Nossa essa matéria dos próximos lançamentos da Editora Arqueiro deu o que falar da outra vez (clica aqui e confere) e eu venho hoje com 3 livros que estarão nas livrarias a partir do dia 1 de março, beleza? Estes são tão maravilhosos quanto as outras indicações que eu fiz semana passada…vambora então que está imperdível!

Uma história incomum sobre livros e magia, de Lisa Papademetriou
CapaHistoriaIncomum_13mm.indd

Lisa, a escritora, estreou um romance em 2006 que foi considerado pelo site FamilyFun um dos melhores livros deste ano. Já tem diversos livros publicados, entre eles Como ser feminina (Editora Fundamento) e Rani na lagoa das sereias (Melhoramentos), Middle School: Big, Fat Liar e Homeroom Diaries (ambos com James Patterson).

Meu resumo, abaixo, de baseia nas 30 páginas cedidas pela Editora Arqueiro, tudo bem?

A história começa com Kai visitando sua tia-avó com gostos bem estranhos para uma senhorinha com 87 anos: “usava calça jeans, não aquela típica de vovó, mas uma escura bem justa, além de tênis All Star vermelhos” e anéis por todos os dedos de forma bem extravagantes e que nunca quis marido nem filhos. Kai percorre a casa de sua tia-avó e descobre um livro com nome bem esquisito  (O cadáver excêntrico) que desperta nela uma curiosidade instigante. Ela abre mas se depara com folhas em branco mas apenas uma escrita assim:

 

“—Saudações! Bem-vindo a O cadáver excêntrico! Assim como naquele antigo jogo em que uma pessoa desenhava uma cabeça, dobrava a página, outra desenhava um corpo, depois uma terceira desenhava as pernas e assim por diante, você dará vida à sua própria criatura. Você está prestes a embarcar numa viagem mágica, muito além de sua inteligência, imaginação e fé! Basta uma pessoa com a ousadia de pôr a história em movimento! Que comece a magia! Ralph T. Flabbergast”

Kai escreve nele a seguinte frase “Ralph T. Flabbergast era um perfeito idiota”. Do outro lado do mundo, Paquistão, está Leila. Ama biblioteca e hospedada na casa de seu tio observando quais livros lerá, encontra um que desperta sua curiosidade pelo título: O cadáver excêntrico!!! Depois a história volta para a personagem Kai, ela reencontra o livro em cima da sua mala mas ela não lembrava de tê-lo deixado ali. Ela abre e dá de cara com várias coisas escritas e que não estavam ali….a história começa a ser contada sozinha.

A leitura é gostosa e leve, que te leva à distração…acho até válido para adolescentes e crianças que gostam de aventuras (indiquem para sobrinhos e filhos). E por que não adultos que querem fugir de livros triviais!

Quer ler um trecho desse livro? Clica aqui então e divirta-se!

Gênero Ficção e Romance / Lançamento 1 de março / 192 páginas / Preço R$ 29,90

 

Nove regras a ignorar antes de se apaixonar, de Sarah MacLean
Capa nove regras a ignorar_19mm.indd

Sarah MacLean, a escritora, tem seus livros contemplados dentre os mais vendidos do The New York Times, do The Washington Post e do USA Today, além de terem sido traduzidas para mais de vinte idiomas. Vencedora do prêmio RITA na categoria Romances de Época, Sarah MacLean também é colunista do The Washington Post.

Tanto o prólogo quanto a parte um não diz muita coisa, infelizmente. Ou felizmente, por que você fica curiosa (o) e compra o livro rsrs. As vinte páginas colocadas a disposição pela Editora Arqueiro são apenas uma degustação do livro e nesse caso, prefiro não fazer um resumo para vocês e colocar as informações da própria Arqueiro, tudo bem?

Calpúrnia Hartwell foi apresentada à sociedade e ainda dez anos depois continua solteira a espera de um pretendente em mais um baile.  Aos 28 anos e sem mais nada a perder, ela lista nove regras sociais que ela quer quebrar e quebra mesmo ao longo do livro. Na companhia de Gabriel St. John, o marquês de Ralston (lindo e extremamente libertino) ela passa tanto tempo em sua companhia que pode quebrar uma das mais delicadas regras: a que diz que aqueles que buscam o prazer não devem se apaixonar perdidamente!!!! 

As regras são:

 1. Beijar alguém… apaixonadamente 2. Fumar charuto e beber uísque 3. Montar com as pernas abertas 4. Esgrimir 5. Assistir a um duelo 6. Disparar uma pistola 7. Jogar (em um clube para cavalheiros) 8. Dançar todas as danças de um baile 9. Ser considerada linda. Pelo menos uma vez. 

A escrita é rebuscada muitas vezes trazendo aquela linguagem que é apenas para quem gosta e se identifica. Acho que vale a leitura para quem é amante de um bom romance!

Quer ler um trecho desse livro?Clica aqui então e divirta-se!

Gênero Ficção e Romance de época / Lançamento 1 de março / 384 páginas / Preço R$ 39,90

 

Um novo amanhã, de Norah Roberts
Um novo amanhã, de Norah Roberts

Vocês dispensam as apresentações sobre a autora ou não??? Vou apresentar por que tem gente que não conhece, né? Sucesso em todo o mundo, Nora já escreveu mais de 200 livros, publicados em mais de 35 países e traduzidos para 25 idiomas. Seus títulos são presença constante na lista de mais vendidos do The New York Times. Nora tem mais de 400 milhões de livros impressos e foi a primeira mulher a figurar no Romance Writers of America Hall of Fame. Pouca coisa, né? (rsrs) Sou fã demais do trabalho dela e de como ela dá vida aos personagens…

Meu resumo de quem leu enlouquecidamente as 33 páginas que a Arqueiro deixou para gente, tá?

Nesse, compondo o primeiro de uma série de três livros (sendo este chamado de “A pousada”), a história começa com Beckett Montgomery, um cara romântico, arquiteto que com sua mãe e irmão reconstroem por meio de sua empreiteira uma pousada dentro de uma cidadezinha marcada pela guerra de muitos anos atrás.  

Beckett reencontra Clare, uma antiga moradora do vilarejo e agora viúva, após seu marido morrer na referida guerra. Agora com três filhos, ela volta à Boonsboro e desperta no empreiteiro velhos sentimentos, como descrito nesse trecho:

“-Seu coração disparou. Bom, Clare fazia isso acontecer desde que ele tinha 16 anos. – Oi, Beck. Bem que tinha reconhecido sua voz. Ela sorriu e o coração de Beckett quase parou de bater.”

O capítulo dois já fica mais animado, com o reencontro dos dois e em cada frase a autora deixa claro que o homem é perdidamente apaixonado por ela, ainda! O que ele pensava que nem mais existia depois de tanto tempo…num desenrolar gostoso de ler entre dois personagens que se reencontram depois de adultos e bate aquela sensação gostosa de reencontro e eles começam a ter atitudes do tipo “passo lá para ver se ela já chegou?”, “vou olhar casualmente”, “vou criar situações para nos esbarrarmos”, sabem? E pior (ou melhor) ela se pega pensando nele por muitos momentos…..

Se você procura um livro com escrita delicada e cheia de detalhes, de forma que você consegue imaginar até os locais, as características das pessoas….essa é a oportunidade. Como todo livro de Norah, ela te envolve a cada página. Alguém duvida que eu vou comprar? hahaha

Quer ler um trecho desse livro? Clica aqui então e divirta-se!

Gênero Ficção e Romance / Lançamento 1 de março / 320 páginas / Preço R$ 34,90

Então é isso, povouu! Espero que vocês tenham gostado dos comentários, da eleição dos livros e da abordagem por aqui! Estou muito mas muito empolgada com estes lançamentos…eu adorei e vocês?

Próxima semana, lançamentos de outras editoras, tá???

1 2