set 08, 2017Por

Nani Moreira

Antes da Queda- por Noah Hawley

Um avião decola, um avião cai, um oceano imenso a sua volta e a vida de um estranho em suas mãos. Como um cara que pega carona num jatinho sobrevive? Quem é ele e por que ele tava lá? É assim que começa o livro Antes da Queda, de Noah Hawley. 

Uma história cheia de possibilidades reais, mas submersa em segredos. Classificada pelo The New York Times como “um dos melhores livros do ano” por ser “envolvente e repleto de surpresas”, me rendeu algumas desistências e críticas regadas com um copo de leite (sim, eu bebo leite lendo livro :)!

Antes da Queda, por Noah Hawley

Gênero Ficção

Depois de 1 mês de férias, David, Maggie, seus filhos e um casal de amigos se preparam para embarcar num avião particular de volta para casa na companhia de Scott, que foi convidado por Maggie à pegar uma carona com eles.

O avião é da firma onde David trabalha, que tem uma vida atribulada com pouca dedicação aos filhos; Maggie, sua esposa, sente o desconforto de ter uma vida privilegiada (financeiramente falando) e busca refúgio nos filhos JJ e Rachel. 

Rachel, a filha mais velha, que já viveu uma experiência bem traumática por conta de um sequestro (mas sobreviveu), não vai ter a mesma sorte agora. Todos, com exceção de duas pessoas, morrem a bordo desse avião.

spoiler-alert

 

Depois da queda, a história volta anos atrás contando a infância de Scott, o tal estranho que pegou carona com a família no jatinho (mas que dá pistas  logo no embarque de que conhece bem a Maggie). Sabe-se apenas que ele é um pintor que aprendeu a nadar quando criança.

Entre a queda e a luta por se manter vivo é tudo muito rápido que dá até falta de ar: em meio a destroços, a criança mais nova e Scott se veem perdidos em alto mar cheios de esperança/medo e sem perspectiva de socorro. Só resta nadar! Depois de 8 horas nadando…15 graus de puro frio e quilômetros de água até a praia, a vida toma um outro rumo. 

Mais um livro no estilo vai e vem, onde a história tem sempre uma pitada de passado e presente, o texto vai apresentando cada envolvido no acidente como uma lápide: David era um famosão de uma emissora que caçava polêmicas políticas, era odiado, vivia rodeado por seguranças e recentemente estava prestes a perder tudo por um escândalo bombástico envolvendo grampos clandestinos.

Um de seus amigos a bordo, Ben Kipling, estava atolado em problemas com a justiça por conta de negociações que envolviam países que financiam o terrorismo. Já Rachel (a filha de David) era apenas uma criança rica curtindo sua pré-adolescência e sua mãe (Maggie), antes de se casar com David, atuava como professora e era gentil e boa mãe.

Além deles, o livro apresenta Gil Baruch (guarda costa da família Bateman), James Melody (piloto que nunca tinha pilotado o avião que caiu), Charlie Busch (que era o copiloto substituto) e Emma Lightner (comissária de bordo que tinha se envolvido num romance com Charlie).

Como David e Ben eram homens magnatas e com uma vida cercada de problemas, as teorias conspiratórias eram muitas em torno de suas mortes: queima de arquivo? simulação de suas mortes? terrorismo ou só mais um acidente aéreo mesmo?

O que me incomodou um pouco foi a falta de objetividade na escrita (muito prolixo…dá uma volta ao mundo pra falar algo), as frases com verbos no pretérito  (comprara, tentara…) que travaram um pouco na leitura justamente por que não usamos muito esse jeito no dia a dia (eu pelo menos não hahah).

Com alguns pontos aprofundados que considero até desnecessários, o livro trás uma reflexão de como as coisas não são bem assim como pensamos (com manipulação das mídias e tudo mais) e o autor te leva à crer numa verdade que só no final do livro você cai em si e vê que não era nada disso que você estava pensando.

Quer ler um trecho desse livro? Clica aqui então e divirta-se!
368 páginas / Preço R$ 44,90
Editora Intrínseca acertou mais uma vez com a publicação de um livro instigante no estilo thriller policial/suspense trazendo um escritor em plena ascensão, mas prefiro ele como roteirista e produtor mesmo (é dele a façanha de deixar incrível o seriado Bones – exibida pela Fox em 12 temporadas e Fargo – exibida pela FX em 2 temporadas que já venceu Emmy e Globo de Ouro). Não esperava um final como o apresentado, foi realmente surpreendente e acho até que valeria um seriado de uma temporada ou um filme, já que a história contada deixou um pouquinho a desejar!
Que venham outros livros por que eu quero desafio! Me conta aqui se você já leu algum livro esse ano e qual é seu favorito, por favor? Preciso de indicações…
ps: depois que fiz essa resenha, li que a Sony comprou os direitos de produzir um filme desse livro, então, eu estava certa hahah!

Você pode gostar também:

Comente com o Facebook

Deixe seu comentário

3 Comentários

  • Alice Martins
    13 set 2017

    Olá Nani, tudo bem?

    Não conhecia o livro, mas pela sua resenha já fiquei bem curiosa e animada. Parece ser uma daquelas obras que começamos e não queremos largar. Adoro obras que possuem diferentes níveis de narração, que vão e vem, elas sempre me conquistam. Fiquei bem curiosa para ler a obra, vai para a lista!

    Beijos!

  • Gleicy Martins
    13 set 2017

    Que resenha foi essa?? Me prendeu do começo ao fim. Não conhecia o livro.
    Preciso muito desse livro! Valeu pela dica. Beijos

  • Tais Burigo
    12 set 2017

    Oi tudo bem?
    Não tinha conhecimento do livro mas terminei a sua resenha querendo ele para fazer essa leitura afinal fiquei curiosa para desvendar esse mistério, anotei a dica.

    Beijos